Publicado por: Marcos Palacios | maio 14, 2008

José de Alencar e as Máquinas de Coser

“Dizem que o espírito da indústria tem despoetizado todas as artes, e que as máquinas vão reduzindo o mais belo trabalho a um movimento monótono e regular, que destrói todas as emoções, e transforma o homem num autômato escravo de outro autômato. Podem dizer o que quiserem; eu também pensava o mesmo antes de ver aquelas lindas maquinazinhas que trabalham com tanta rapidez, e até com tanta graça.”

Encontrei no the satis/fashion esta crônica de José de Alencar sobre Moda e Máquinas de Costura, publicada no Correio Mercantil. É, ele fazia Jornalismo de Moda em 1854.

Leiam a integra.

Anúncios

Responses

  1. Muito obrigado pela citação!
    Sem palavras!
    Daniel Amarhal!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: